Archive for Novembro 2014

Por Márcia Gabriele e Luciana Vasconcelos

Após o sucesso da Semana Audiovisual, que já está na 2ª edição, realizada pela Universidade Estadual do Piauí, por meio do curso de Comunicação Social em Jornalismo e Relações Públicas, torna-se projeto de extensão anual.

O principal objetivo da semana audiovisual é promover a cultura audiovisual universitária e ainda divulgar a produção dos estudantes, desde trabalhos desenvolvidos em disciplinas até produtos práticos para trabalho de conclusão de curso. O evento é um projeto de extensão proposto por Sammara Jericó, coordenadora e professora do curso de Comunicação Social, que garante a participação integral na organização tanto de professores quanto de alunos.

Sammara Jericó, Coordenadora e Professora do
curso de Comunicação Social.
De acordo com Sammara Jericó, o evento audiovisual desperta a curiosidade e encanta o público para as produções feitas por estudantes da UESPI, quanto aos alunos de outras instituições.

“Esse é um projeto de extensão que no próximo ano, será um produto permanente do curso. Não vai ser um produto de A ou B,, vai ser do curso de comunicação social. Então ele veio para ficar. A gente está tendo provas de que é uma cultura que chama atenção que desperta curiosidade, que encanta e que acaba servindo de incentivo para outras produções, tanto dos alunos da instituição, quanto aos de fora”, garante Sammara Jericó.

Esse ano, o evento teve como tema “Torquato Neto: o anjo torto”, homenageou os 70 anos de nascimento do poeta, compositor e jornalista teresinense, Torquato Neto.

Para a coordenadora do curso de Comunicação Social, o evento foi proveitoso, principalmente, pela escolha do tema e garante que conseguiu atingir as expectativas da organização.

“Eu achei bastante proveitoso, desde a escolha do tema. Torquato Neto. Porque ele é uma referência. Foi um desafio construir uma semana que tivesse a cara dele, a força dele. E eu acho que a gente conseguiu a força do envolvimento de todos que fazem parte. De forma muito positiva eu vejo essa semana e acho que ela vai servir de exemplo para outras que virão e que serão produzidas também pelos alunos da UESPI”, confessa Sammara Jericó.

Segundo o Reitor da UESPI, Nouga Cardoso, o curso de Comunicação Social apresentará inovações, dentre elas os laboratórios de audiovisuais, produção de telejornalismo e ainda a reforma no laboratório de rádio.

“Nós vamos ter a oportunidade de termos os laboratórios de audiovisuais, produção de telejornalismo, além do laboratório de rádio, que vai ser fortalecido. E acreditamos que realmente virá a atender o anseio da comunidade universitária, sobretudo, dos alunos de jornalismo. Na perspectiva de uma melhor formação, com qualidade. Certamente, gerará um novo ânimo pra essa estudantada”, garante o reitor da UESPI.

O evento aconteceu nos dias 19 a 20 de novembro, contou com a participação de professora Dácia Ibiapina, os produtores culturais Antônio Noronha e Guga Carvalho, produtores de roteiros Mônica Mello e José Quaresma, produtor de documentário Jader Damasceno e dos jornalistas Renan Nunes, Sande Moraes, Cristine Ventura e da banda Madalena'Soul.

Semana Audiovisual é projeto obrigatório no curso de jornalismo da UESPI

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi
segunda-feira, 24 de novembro de 2014
0 Comments
Por Julimar Silva

A jornalista maranhense Sande Moraes ministrou a oficina: Jornalismo Político, no último dia da 2ª Semana de Audiovisual da UESPI 2014. Com mais de 20 anos de experiência na área do jornalismo e assessoria de imprensa, a profissional dialogou sobre a profissão com alunos de jornalismo, alunos do ensino médio, jornalistas e amantes da jornalismo político. A Semana de Audiovisual aconteceu de 19 e 20 de novembro de 2014, no campus Torquato Neto. O evento homenageou, Torquato Neto "O Anjo Torto".

Sande Moraes, jornalista
As últimas eleições e a confusão entre jornalismo e publicidade, foram muito discutidos, com várias intervenções dos estudantes. A morte de Eduardo Campos (PSB); A vitória de Dilma (PT); A derrota de Edinho Lobão (PMDB) no Maranhão para Flávio Dino (PCdoB); A vitória de Wellynton Dias (PT) sobre Zé Filho (PMDB) no Piauí; A forma como a revista Veja, se posicionou dentro da campanha presidencial na última eleição, foram pontos que renderam grandes discussões dentro na oficina, que foi trabalhada mais do ponto de vista prático do que teórico.

A vasta experiência de Sande Moraes, contou bastante, para que ela pudesse responder com precisão as indagações dos participantes, dando exemplos próximos da realidade dos piauienses, esclarecendo como o jornalismo e o marketing se posicionam em diferentes momentos.

Mas, alguns pontos chamaram ainda mais a atenção dos cerca de 20 participantes da oficina, que se surpreenderam com declarações da jornalista, que afirma ser difícil separar conteúdo jornalístico e publicitário na atualidade e que é preciso ficar atento para não perder a ética profissional.

"Que essa interação sirva de crescimento. A gente torce bastante para que essa turma, seja uma turma do futuro e que a comunicação seja feita com ética. Eu digo que político não vive sem comunicação, a comunicação é a porta aberta, tanto para construir imagens, quanto para destruir ou desconstruir essa imagem então, a gente sempre busca o que há de melhor. Então quando a gente busca saber o que é verdade, o que é manipulação, o que é marketing, o que é publicidade, o que é ética, a gente tende a fazer essa diferenciação e tende a colher o que é melhor para nos enriquecer", Sande Moraes, jornalista.

Para alguns participantes, a oficina foi um momento importante para debater com mais clareza, assuntos que dificilmente conseguem ganhar repercussão fora da academia. Para outros, o conteúdo trabalhado na oficina surpreendeu por ter sido abordado de forma bem explícita, demonstrando o que muitos políticos fazem para ter acesso ao poder a qualquer custo. Mas, ficou também a certeza de que os desafios são cada vez maiores para o jornalista que precisa saber lidar com interesses diversos no mundo político.

Os participantes da oficina de Jornalismo Político ao lado de Sande Moraes
"Política é o que a gente respira hoje, a nossa vivência tem política.  Então falar e discutir política e principalmente política e principalmente o marketing. O que eu levo disso tudo é que a gente precisa aprender como a nossa política é feita. Como jornalista ou futuros jornalistas, esse é o momento de formar o caráter, é preciso o caráter ético. Não basta ser levado pelo calor das emoções, e saber não se corromper", Juliana Arêa Leão, jornalista, recém formada pela UESPI.

"Gostei muito, foi acima das expectativas, ela sabe muito. Pena que foi pouco tempo. Fez me esclarecer muito do que eu já sabia. Na política muita coisa é marketing, me fez compreender um pouco mais do que eu já sabia, em tudo tem muita representação" Diego Paulo, estudante participante da oficina.

Antônio Pereira, além de gostar do conteúdo trabalhado, ainda foi premiado com um livro sorteado pela organização da 2ª Semana de Audiovisual 2014.

"Realmente me interessei por essa área e quero seguir nesta área de jornalismo político. Surpreendeu um pouco aqui. Na política há mais coisa que a gente não vê do que vê. Estou mais feliz ainda, porque também ganhei o livro e prometo gostar" Antônio Pereira, estudante do Premem Norte.

Antônio Pereira, estudante do Premem Norte


Após a oficina, todos foram convidados para prestigiarem um varal que expôs as poesias de Torquato Neto.

Jornalismo Político é desafio para jornalistas manterem a ética profissional

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi 0 Comments
As oficinas foram ministradas por Sande Morais (Jornalismo Político), Cristiane Ventura (Assessoria de Imprensa), Antônio Quaresma e Mônica Mello (Produção de Roteiro e Jader Damasceno (Produção de Documentário) e contaram com a presença em massa dos participantes da Semana.

Após as oficinas acontecerão um Varal de Poesia e mostra de vídeos, palestra com a cineasta e professora de cinema da UnB, Dácia Ibiapina, além de apresentações do cantor Dfam e da banda Madalena’Soul.

VEJA FOTOS DAS OFICINAS:
















Confira galeria de fotos das oficinas realizadas na 2º Semana Audiovisual da UESPI

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi
quinta-feira, 20 de novembro de 2014
0 Comments
Por Julimar Silva

A Professora e Jornalista, Sande Moraes, marcou presença na abertura da 2ª Semana de Audiovisual, promovida pela UESPI (Universidade Estadual do Piauí), através dos alunos do 7º Bloco do Curso de Comunicação Social da instituição. A profissional, é uma das convidadas para ministrar a oficina: Jornalismo Político, na tarde desta quinta feira (20).
Sande Moraes tem 32 anos de experiência no campo da comunicação seja no Jornalismo Escrito (Impresso), Rádio e Televisão. Ela falou da expectativa para o que pretende compartilhar durante a oficina com os estudantes. Além de antecipar um pouco do que vai trabalhar durante a exposição aos ouvintes.
Jornalista Sande Moraes na abertura da 2ª Semana de Audiovisual

A expectativa é grande, não apenas dos alunos, como também minha, de estar passando para eles, já que vai ser rápido, uma noção da forma como a gente pode estar trabalhando para poder ganhar credibilidade. Nós sabemos que a política ela fica saturada, e com isso, ela perde um pouco a credibilidade e isso atinge também o jornalista. Então existem formas de trabalhar para que a gente não perca a credibilidade enquanto profissionais”, declara Sande Moraes, Jornalista.
Francisca Sande Moraes

Nascida em 05 de abril de 1962, na cidade de Lago da Pedra, Maranhão. A jornalista tem habilidades com as letras também na literatura, escrevendo poesias, literatura de cordel, crônicas e editoriais. Dentre os concursos dos quais participou, destacam-se: Concursos de Poesias, ganhando o primeiro lugar com o poema “Lago da Pedra”; Ganhando da Secretaria de Educação e Cultura do Município a publicação do livro “Lago da Pedra e outras Poesias”.

Aos 19 anos trabalhou na Rádio e TV Ribamar, onde exerceu o cargo de Assessora Administrativa e logo depois passou a atuar no Jornalismo. Sande Moraes é professora de formação, concursada e exerceu até o ano de 2012 pelo estado do Maranhão a atividade. A formação eclética, como: Pedagogia pelo – FASE – Instituto Educacional da Serra; Letras – UEMA/UESB – Até 6º Período (incompleto); MBA em Marketing Político e Organização de Campanhas - UNINTER – Colegio e Universidade Instituição de Ensino; E JORNALISMO – IBECEC - Instituto Brasileiro de Estatística, Culturas, Educação e Comunicação.

A sua prática profissional está recheada de uma vasta experiência, como: Redatora e Produtora do Tablóide “Informativo do Município”; Repórter e Âncora do Jornal “Cidadania em Cena” (Local); Editora e Produtora de Audio e Vídeo - Não linear (Premiere- Pro cs6); Diretora e Produtora da Rádio Santa Maura e TV Verdes Lagos – BAND – Lago da Pedra; Radialista de programas de rádio; Diretora da Radio Cultural FM; Diretora e Produtora da TV Planalto – SBT; Diretora e Produtora da VTV Comunicações – Record Regional do MA; Apresentadora do Programa “O Povo Quer Saber” – Record – MA.

Sande Moraes, afirma que o Jornalismo Político atual precisa deixar de ser menos publicitário e mais informativo. 

A política ela pesa, porque se você não tiver controle, você acaba se deixando como profissional descaracterizar. O Jornalismo ainda tem jeito, para que se possa fazer um Jornalismo de respeito, de credibilidade e que se possa tirar o chapéu”, finaliza Sande Moraes, professora e jornalista.




Oficina sobre Jornalismo Político movimenta 2º dia da Semana de Audiovisual da UESPI 2014

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi 0 Comments
A Mesa Redonda sobre Torquato Neto, foi realizada na abertura da 2ª Semana de Audiovisual da UESPI 2014

Por Julimar Silva

Ao lado de Guga Carvalho, curador de uma exposição sobre o filme "Adão e Eva: do Paraiso ao Consumo" que fala sobre Torquato Neto e de Antônio Noronha, médico, professor e produtor cultural, grande amigo de infância de Torquato Neto; Renan Nunes, jornalista da TV Clube, se mostrou muito à vontade para falar sobre uma série de reportagens que ajudou a produzir sobre Torquato Neto, que foi ao ar entre os dias 03 e 08 de novembro de 2014, na TV Clube. Renan Nunes foi um dos convidados para a abertura da 2ª Semana de Audiovisual 2014 da UESPI (Universidade Estadual do Piauí), que está acontecendo no campus que leva o nome do poeta e letrista "Torquato Neto" no Pirajá Zona Norte de Teresina.

Renan Nunes, Guga Carvalho e Antônio Noronha na Mesa Redonda sobre Torquato Neto
A abertura do evento ocorreu na noite desta quarta feira no auditório do NEAD (Núcleo de Educação à Distância) e segue até a noite desta quinta feira (20). Renan Nunes ressalta que a série de reportagens foi resultado de um esforço conjunto de 13 pessoas, que foi produzido durante três meses. A série de reportagens que acabou resultando em um documentário intitulado: "Torquato Neto - O anjo torto". No final de sua exposição, o jornalista presenteou com uma cópia o Curso de Comunicação Social e Relações Públicas da UESPI.

O jornalista conta que a cronologia da vida de Torquato Neto foi traçada pela equipe de reportagem. O levantamento foi do nascimento, passando por quando aos 14 anos deixou o Piauí. A reportagem ouviu amigos de infância, pessoas que conviveram com o poeta, que mesmo antes de sair de Teresina, já começava a rabiscar as primeiras letras. De Teresina, a equipe da TV Clube foi para Salvador, primeira capital onde Torquato morou após sair de Teresina. Na Bahia, em Salvador, o contato mais próximo da reportagem foi com as pessoas do colégio onde o letrista estudou e morou, por que se tratava de um internato, que recebia pessoas de outros lugares. Nesta escola, Torquato escreveu alguns poemas.

"É o antigo Colégio Marista, onde Torquato viveu por dois anos. Em Salvador fomos mostrar a escola onde ele morou, o colégio é Nossa Senhora das Vitórias. Lá nos descobrimos pessoas que estudaram na época. Lá ele conheceu Gil, Caetano e outras pessoas ilustres da Bahia passaram por aquele colégio", ressalta Renan Nunes, jornalista.

Mas a vida de Torquato Neto aconteceria no Rio de Janeiro, conta Renan Nunes, pois era o lugar onde nos anos 60 se concentravam os principais artistas do país. Foi no Rio, que o poeta, estudou jornalismo e filosofia, mas não conseguiu nenhum dos cursos. Trabalhou em jornais e foi até setorista de um aeroporto.
"Nós encontramos pessoas que conviveram com ele, e diziam que pela habilidade que ele tinha de escrever, ele acabou se interessando pelo jornalismo. Lá no Rio ele encontrou os baianos e foi aí que começou a construção da Tropicália", conta Renan Nunes.

Quando a Tropicália ganha grande repercussão, os nomes de Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil, José Carlos Capinã são propagados. Torquato escreveu peças de teatro, letras de música. A equipe de reportagem, teve segundo Renan, a missão de mostrar o desenrolar da Tropicália no Rio de Janeiro. Diz ainda, que Torquato passou um tempo em um local chamado: Solar da Fossa, local aonde intelectuais e os artistas moravam, e este foi um dos lugares em que a Tropicália acabou sendo iniciada.

Em 2014, se estivesse vivo, neste mês de novembro, Torquato completaria 70 anos. Renan Nunes lembra que para produzir a série de reportagens, teve que ler a biografia de Torquato Neto e ver filmes. Afirma que cada vez que se aproximava da obra do poeta, se apaixonava cada vez mais, de uma obra que ele define como densa, pois aparentava uma inquietude de uma pessoa que viveu numa época em que as manifestações de expressão eram muito mais contidas, em razão do regime militar.

Público no auditório do NEAD
"Boa parte do material que ele deixou tem esse tom de crítica social. É uma poesia muito ligada ao construtivismo, coisas que escrita a 40 anos, você ler hoje, parece a frente do tempo. E o que ficou para mim foi esse cara inquieto, atual, atemporal e que não se conformava com as amarras daquele tempo", ratifica.

O jornalista finaliza dizendo que os piauienses precisam conhecer a obra de Torquato Neto, pela produção literária e o legado deixado. Lembra que muitas pessoas estudaram academicamente Torquato Neto, documentários estão sendo produzidos para homenageá-lo, shows e concertos musicais e muitas outras formas de citar, uma pessoa que tentou fazer a diferença no seu tempo.

"Um artista com muitas facetas, que pensa à frente do seu tempo, e a nossa ideia foi mostrar para o Piauí, quem foi o Torquato Neto. Não foi só um cara que morreu aos 28 anos, foi um cara que deixou um legado cultural que merece ser reverberado e conhecido por muitas e muitas gerações. O Piauí merece conhecer e ter acesso à obra de Torquato Neto, que foi um dos piauienses ilustres", afirma Renan Nunes, jornalista.

Renan Nunes repórter da TV Clube conta como foi produzir série de reportagens sobre Torquato Neto

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi 0 Comments
Dia: 19/11 às 19h

Mesa-redonda: “O audiovisual de Torquato Neto”
Local: Auditório do Núcleo de Educação a Distância - NEAD

Convidados:

- Antônio Noronha, médico, professor e produtor cultural. Fez as imagens de  ”Adão e Eva: do Paraíso ao Consumo”, filme produzido por Torquato Neto em Teresina, em 1972. O filme, em Super-8, desapareceu e os únicos registros que permanecem são os produzidos por Noronha.

- Guga Carvalho: produtor cultural, curador da exposição sobre o filme ”Adão e Eva: do Paraíso ao Consumo”, realizada pela Fundação Cultural Monsenhor Chaves.

- Renan Nunes - Jornalista, repórter da TV Clube, produziu uma série de matérias sobre a vida e obra de Torquato Neto, visitando locais por onde Torquato viveu e produziu como Teresina, Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro.


Dia: 20/11

Oficinas, das 14h30 às 16h30
Local: Salas de aula do Curso de Comunicação

Produção de Roteiro: Mônica Mello e José Quaresma

Assessoria de Imprensa: Cristine Ventura

Jornalismo Político: Sande Morais

Produção de Documentário: Jader Damasceno

Varal de Poesia e Mostra de vídeos às 17h

Palestra às 18h30
Com a cineasta e professora de cinema na UnB, Dácia Ibiapina. Nasceu em São João do Piauí e mora atualmente em Brasília (DF). Possui especialização na Escola Internacional de Cinema e Televisão de San Antonio de los Baños, em Cuba, e mestrado em Comunicação. Dirigiu vários curtas em que há uma forte presença da questão social.


Programação completa da II Semana Audiovisual da UESPI

Postado por : Leila Sousa
quarta-feira, 19 de novembro de 2014
0 Comments
O programa Falando Nisso da Rede Meio Norte também repercutiu sobre Torquato Neto

Por Julimar Silva

Torquato Neto, poeta, letrista, jornalista e um dos influenciadores do Tropicalismo, movimento cultural brasileiro, está sendo homenageado de várias formas no Piauí. São consertos, apresentações e manifestações artísticas, musicais e até mesmo nos programas de televisão as lembranças do considerado “Anjo Torto” não param. O programa Falando Nisso, apresentado pela jornalista Maia Veloso, na Rede Meio Norte, também tratou sobre Torquato, em uma entrevista com uma das pessoas no Piauí, que mais entendem de Torquato, o Publicitário George Mendes, que é primo de Torquato Neto e curador do acervo pessoal do poeta.

Durante a entrevista George Mendes, revelou que o artista de várias faces era fonte de alegria e lembrou com saudade os momentos que interagiu com o poeta. Em uma das passagens, afirma que tinha 14 anos Torquato Neto morreu em 1972 no dia 10 de novembro aos 28 anos no Rio de Janeiro. Se estivesse vivo completaria 70 anos em 2014.

“Quando Torquato morreu eu tinha 14 anos. Ele era um ídolo pra mim. E ele alimentava isso, ele me deixava ficar perto. Mas ele me fazia coisas, me atendia 6 horas da manhã. Eu batia na porta pedindo para ele traduzir um texto de inglês do colégio e ele morria de rir”, George Mendes, pesquisador.

Maia Veloso e George Mendes durante Programa Falando Nisso da Rede Meio Norte
Dentre as contribuições destacadas por Torquato Neto, George lembra que ele participou da concepção do Tropicalismo no Brasil. Torquato teria se apropriado dos conceitos e ideias quem melhor conseguiu traduzir, junto com Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil e outros nomes, esse movimento. Torquato não cantava, nem tocava nenhum instrumento, era desafinado, mas tinha ouvido musical e conseguiu apreender e expressar a síntese do movimento cultural.  


“Se eu posso dizer, Torquato talvez fosse a essencial da história, os outros foram a estampa. Eles tiveram uma belíssima contribuição, eles ganharam o mundo, tiveram visibilidade com tudo isso, mas quem deu a sustentação a essência foi Torquato Neto”, afirma George Mendes.

George Mendes, falou ainda sobre o acervo que tem em sua residência e que consegue reunir muitos documentos sobre a vida de Torquato Neto. A maior parte do material ele recebeu em 2010, vindo do Rio de Janeiro. Conta que ficou impressionado e ansioso para pesquisar, coisas com mais de 30 anos, 40 anos, porém teve muita alergia e isso lhe impediu explorar com mais rapidez todas as fontes. Hoje arrumou o acervo que demorou muito para entender, mas que hoje contra tudo com muita facilidade. Antes de chegar à Teresina, o acervo estava há 38 anos em poder da viúva de Torquato, Ana Duarte, que guardou tudo com muito cuidado e zelo afirma.

Alguns originais de poesias e canções do poeta Torquato Neto -Foto UPJ Produções

Uma curiosidade que George Mendes revelou durante o programa, foi que grande parte das coisas que lhe chegaram estavam catalogadas. Um exemplo é o material sobre cultura do jornal: Última Hora, que foi uma espécie de plataforma de lançamento de tudo que aconteceu no Brasil dá época das produções de Torquato. Mas o que impressiona o curador é a forma como o poeta preparou os seus documentos. Estavam arrumados e catalogados. O que denota para George Mendes que Torquato Neto, não queria ser esquecido.

“Quem prepara as coisas como Torquato preparou não quer ser esquecido não. Ele fez um ato que a gente pode considerar sob diversos ângulos, sob diversos pontos de vista, ninguém tem o direito de sustentar que a única verdade é essa. O fato é que ele tinha o direito e fez o que quis da forma que quis. Torquato sempre confundiu vida e morte, pra ele existia só um recomeço”, conta George Mendes.

Semana Audiovisual da UESPI – Mais Torquato Neto

Torquato Neto vai continuar sendo homenageado durante a 2ª Semana Audiovisual da UESPI (Universidade Estadual do Piauí), organizada pelos alunos do 7º período do Curso de Comunicação Social. O evento acontece nos próximos dias 19 e 20 de novembro, quarta e quinta feira, respectivamente.

Biografia de Torquato Neto ganha uma segunda
edição (Foto: Divulgação/Nossa Cultura)


Inscrições

As inscrições podem ser feitas no Curso de Comunicação Social da UESPI e também através do Blog:SemanaAudiovisual.blogspot.com.br. Outras informações sobre o evento, pode ser acessadas nas Redes Sociais Digitais: Facebook.com/SemanaAudiovisual2014 ou @SemanaAudivisual.

Dentre as atividades nos dois dias da Semana Audiovisual da UESPI, além de Palestras e Mostras de Vídeos, Recitais e Mesas Redondas com professores convidados completam a 2ª edição do evento.


Torquato Neto é o homenageado da 2ª Semana de Audivisual da UESPI

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi
domingo, 16 de novembro de 2014
0 Comments
A oficina de Jornalismo Político, que acontecerá no dia 20 de novembro das 14h30 às 16h30, traz o tema: Jornalismo na Construção e Desconstrução de um Político. Será conduzida pela experiente profissional Sande Moraes que vai discutir as diversas formas e expressão usadas para noticiar os fatos políticos e a figura do político. 

Sande Moraes
A jornalista e empresária Sande Moraes é Mestra em Marketing Político e Organização de Campanhas, com 32 anos que atua na área de comunicação já passou pelo Jornalismo impresso, pela Rádio e Televisão. Hoje trabalha na TV Record - MA e assumiu a Secretaria Municipal de Comunicação e Marketing do município de Santa Rita no Maranhão. Além de ter uma empresa de Assessoria e Consultoria em Marketing Político.

Em entrevista para a equipe organizadora do evento, a convidada fala sobre a temática que será trabalhada na oficina destacando sua importância e também a expectativa em participar da II Semana Audiovisual na Universidade Estadual do Piauí.  

A política no meio jornalístico não é mais apenas notícia de interesse do eleitor, se tornou também uma peça publicitária para os candidatos. Segundo a jornalista Sande Moraes, “não existe Marketing Político sem Comunicação ou Jornalismo. O jornalismo é hoje a ferramenta principal na construção e desconstrução de uma figura pública.” Ressalta. 

Ainda de acordo com Sande muitas vezes não dá pra saber o que é verdade e o que é jogo político através do jornalismo, por isso acaba comprometendo a credibilidade do jornalismo. “Hoje a maior parte dos veículos de comunicação, principalmente nas pequenas cidades são de propriedade de um político, exatamente para trabalhar a construção de uns e a desconstrução do adversário. Trabalho no marketing político, entendo que a política é um jogo acirrado, mas não gostaria de ver o jornalismo tão infundado se posicionando politicamente, porém é uma realidade que vamos ter que aprender a conviver com ela.” Afirma.

O jornalismo político atualmente se encontra numa fase em que a credibilidade está em jogo, tanto para o político quanto para o jornalista, devido a grande concorrência nos meios de comunicação, principalmente em relação à internet com as redes sociais.

No entanto, a jornalista acredita que ainda é possível um jornalismo com imparcialidade e a veracidade dos fatos e destaca como isso pode contribuir para os jovens no interesse por fatos políticos. “Os jovens estão muito ligados nas Mídias Sociais e as postagens sem respaldo e fundamentos podem ser prejudiciais para a sociedade é preciso ter sabedoria e responsabilidade com aquilo que divulgamos, a mídia social funciona em tempo real e chega rapidamente em todo o mundo. Devemos trabalhar uma forma de conscientização e que isso possa influenciar os jovens a buscarem os fatos verdadeiros.” Finaliza. 

Em relação a sua participação na II Semana de Audiovisual da UESPI, Sande Moraes fala de sua expectativa para o evento. “Eu acredito no aprendizado com a prática. A II Semana Audiovisual da UESPI tenho certeza que vai fazer com que os Universitários adquiram um conhecimento mais amplo com a prática e experiência compartilhada.” Ressalta a jornalista.

Jornalismo na Construção e Desconstrução de um Político é tema de oficina na Semana Audiovisual

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi
sábado, 15 de novembro de 2014
0 Comments
No segundo dia da II Semana Audiovisual da UESPI, dia 20 de novembro, a programação do evento contará com oficinas no turno da tarde e uma delas é sobre Produção de roteiro, ministrada por José Quaresma e Mônica Mello. Produzir um roteiro é como produzir uma obra literária ou de arte, tudo começa a partir de uma ideia e é assim que os profissionais conduzirão a oficina do evento. 

A escrito e roteirista Mônica Mello
De acordo coma escritora e roteirista Mônica Mello, serão apontados elementos básicos de um roteiro começando da ideia até o argumento, “como fizemos a pesquisa, como desenvolvemos o roteiro em si e seus tratamentos (até chegar no roteiro que foi filmado), mostraremos o making of e finalizaremos mostrando a parte legal da coisa, que é o requerimento do CPB e o registro do título na Ancine. Mostraremos também uma visão ampla das estruturas clássicas, design de personagem, formatação, etc.” Afirma. 

A expectativa da II Semana Audiovisual para os profissionais é de animação em busca de incentivo na área de produção do cinema no Piauí e também mostrar como não é difícil atuar nesse campo. “O nosso objetivo é mostrar que escrever roteiros e produzir filmes não são bichos de sete-cabeças.” Ressalta Monica Mello. 

Ainda de acordo com a escritora, “Os estudantes de comunicação têm diante de si um leque enorme de possibilidades profissionais. Creio que mostraremos a eles uma possibilidade real de realizar cinema mesmo estando no Piauí. Sei que muitos sonham, como eu e José Quaresma já sonhamos, mas poucos acreditam que irão conseguir. Espero que mudemos isso. Acreditar é o primeiro passo para realizar algo.” Finaliza. 

O compositor e editor colorista José Quaresma posando com
estátua de cera do diretor Quentin Tarantino
Já o compositor e editor colorista José Quaresma, relata como ele vê o trabalho do roteirista. “O trabalho do roteirista é um lindo ofício. O de mostrar a história através das palavras, da descrição das ações, apresentar o enredo como ferramenta de realização do filme. Sou um estudioso permanente dessa arte. Como não temos um cenário ainda muito propício para o fazer cinematográfico no estado, sei que há uma boa turma com boas ideias, lendo, correndo atrás. Entretanto, pouco se realiza, mesmo porque a arte do audiovisual é coletiva, em geral cara, e ainda nos falta conhecimento e articulação para tornar nossas boas ideias em bons filmes.” Ressalta.

Em sua primeira participação no evento Quaresma afirma que espera encontrar pessoas interessadas em aprender e contribuir para o mercado de trabalho do Piauí, nessa área de produção cinematográfica. “Primeiro, aprender o caminho das pedras, estudar, correr contra o tempo, buscar formação onde ela estiver. Depois colocar em prática e fazer a roda girar. Há muito o que se estudar e haverá sempre.” Finaliza o editor colorista.

II Semana Audiovisual apresenta oficina em Produção de roteiro

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi
sexta-feira, 14 de novembro de 2014
0 Comments
No último dia 09, Torquato Neto, o Anjo Torto, completaria 70 anos se estivesse vivo. Para lembrar a data, a Casa da Cultura abriu no dia 04 de novembro a Ocupação Visual Torquato Neto, com a exposição “Ritual de Passagem ou o Balão de Ensaio ou simplesmente a Inquietação Visual [de Torquato Neto]X” e vai até o dia 13 deste mês.

Cena do beijo entre Torquato Neto e Claudete Dias na obra
"Adão e Eva: do Paraíso ao Consumo"
O evento é importante para entender um pouco mais sobre a vida de Torquato e ter ideia da dimensão das suas obras. “Muitos piauienses não entendem quem foi Torquato Neto e que ele foi um
representante piauiense do movimento Tropicália. Ele ainda é autor de muitas canções, poemas e ainda era apaixonado por cinema.”, ressalta a estudante de direito Ariadne Farias, uma admiradora das obras de Torquato.

 Na exposição é possível ter o contato com a intimidade do Anjo Torto através de suas obras, palestras, mostra de filme, imagens e apresentações artísticas. Torquato viveu intensamente e a sua inquietação que lhe tornou um ícone artístico piauiense. 

SEMANA AUDIOVISUAL
O curso de Comunicação Social da Universidade Estadual do Piauí (UESPI),homenageia Torquato Neto na 2a Semana Audiovisual, com o tema “Torquato Neto- O Anjo Torto”.

A semana, que acontece no mês do aniversário de Torquato, novembro, ocorrerá nos dias 19 e 20 e contará com mostra de vídeos, palestras, oficinas e mesas redondas.

Torquato Neto é homenageado com exposição na Casa da Cultura

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi
quinta-feira, 13 de novembro de 2014
0 Comments
O repórter é presença confirmada na II Semana de Audiovisual da UESPI.

Em 9 de novembro de 1944, nascia em Teresina, Torquato Neto, poeta, compositor, jornalista, roteirista, o homem que iniciou ao lado de grandes nomes da música brasileira um dos movimentos culturais mais importantes do país, a Tropicália, seria autor de uma produção artística gigantesca em seus curtos 28 anos de vida. Em 2014 o poeta completaria 70 anos, e em homenagem ao ícone piauiense, a Rede Clube estreou no dia 3 de novembro, a série “Torquato Neto, o Anjo torto”.

Renan Nunes, piauiense de Floriano e formado em jornalismo pela Universidade Estadual do Piauí no campus de Picos, foi o encarregado de contar em forma de homenagem a história de um gênio incompreendido, um ser de várias formas, jeitos e incertezas, um anjo, mas não como os outros, um anjo torto chamado Torquato Neto.

 Com extrema simpatia e bastante animado com a boa repercussão da série, Renan Nunes conversou com a equipe da II Semana de Audiovisual da Uespi, evento onde ministrará uma palestra também sobre esta produção.

Patricia Mellodi fala a Renan Nunes sobre Torquato Neto e o
espetáculo "O Anjo torto"
Dentro de um trabalho de aproximadamente três meses e mais de dez profissionais envolvidos até a estreia da série, Renan Nunes falou sobre o processo de preparação para as reportagens. “A ideia inicial foi da Marcênia Izabel, editora do Piauí TV 1a Edição, ela já planejava há dois anos, algo para homenagear Torquato, em 2014 com o aniversário de 70 anos dele, vimos uma oportunidade. Fizemos uma reunião com toda a equipe de produção, e começamos a pensar como contar a história de Torquato. Como organizar a série em torno da vida de alguém que viveu apenas 28 anos, mas teve uma importância tão grande na música, poesia e cinema? Então decidimos contar desde a infância em Teresina, até seus trabalhos dentro da Tropicália, porém teríamos apenas três episódios, que certamente não contariam a história de Torquato, então pensamos em outras perspectivas: Qual foi o legado dele? Que bandas ele influenciou, que pessoas se interessaram por ele depois que de seu falecimento? Então quando já tínhamos quatro episódios, pensamos em contar as diversas facetas de Torquato, compositor, poeta, roteirista, e assim nasceu a série com cinco episódios.”.

Com mais de 40 anos da morte de Torquato, registros e documentos da época não são tão fáceis de encontrar e foi através de uma pessoa que o estudo histórico sobre o poeta foi possível, “contamos desde o inicio com a ajuda de George Mendes, que é primo de Torquato, e tem um acervo com discos, fotos, livros e poesias, e foi a partir desses documentos que nós estudamos para produzir as reportagens, nós pesquisamos bastante, eu, por exemplo, li a biografia de Torquato e percebi o quanto ele foi genial”, conta Renan.

Uma das histórias que Renan, leva da produção da série sobre Torquato foi a sua ida a Bahia, onde encontrou várias pessoas que nasceram no estado, e se identificavam e conheciam a obra de Torquato Neto: “Fomos a Salvador para entrevistar o José Carlos Capinam, que escreveu peças de teatro com Torquato, e para mostrar o local onde Torquato estudou, e apenas isso, então a assessora que nos acompanhava disse que conhecia pessoas que também estudaram lá, no outro dia foram nos encontrar dois homens contemporâneos de Torquato, e uma jovem doutoranda, Esmeralda Cravançola, que está escrevendo uma tese sobre o poeta piauiense. Foi bastante interessante, ver gerações diferentes falando de Torquato.”

Indagado sobre como foi ser responsável por traduzir a história de Torquato para a TV, Renan Nunes sintetizou a oportunidade: “Foram mais de 7 mil quilômetros percorridos, entre Teresina, Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo, mais de três meses de produção, falar de Torquato foi uma verdadeira imersão, foi realmente uma ótima experiência, eu tentei contar a história dele de uma forma simples, deixar as pessoas falarem sobre ele, mostrar como quem conviveu com Torquato e sua obra, pensa ele hoje.

Da esquerda para a direita: Renan Nunes, o editor Pedro Santiago,
Thiago Nunes, filho de Torquato, e a produtora Jainara Costa
Um dos grandes destaques da série foi o sexto episódio, com uma entrevista concedida por Thiago Nunes, filho único de Torquato, e que segundo Renan se mostrou bastante solicito e interessado na produção das reportagens. “Thiago foi uma ótima surpresa para todos nós, se mostrou interessado desde o nosso primeiro contato. Ele concedeu a entrevista que serviu para mostrar um lado diferente de Torquato, algo que sai um pouco do lado sombrio e carregado que o filme “Nosferato no Brasil” passou sobre a personalidade do poeta. Através de Thiago, vimos o lado “família” de Torquato Neto.

A série Torquato Neto, o Anjo Torto, tem seis episódios, e além do filho de Torquato, outros admiradores e contemporâneos do poeta foram entrevistados, entre eles Sergio Brito da banda Titãs, a cantora piauiense Patrícia Mellodi e os amigos e parceiros de Torquato, Carlos Galvão, José Carlos Capinam, entre outros.

As reportagens podem ser vistas no blog do G1 Piauí.

Renan Nunes fala sobre produção da série de reportagens “Torquato Neto, o Anjo Torto”

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi
quarta-feira, 12 de novembro de 2014
0 Comments
Durante todas as terças-feiras de novembro, a cantora e compositora Patrícia Mellodi sobe ao palco para homenagear o poeta e jornalista Torquato Neto pelos seus 70 anos que faria neste mês, com o show “Anjo Torto - Patrícia Mellodi canta Torquato Neto”, em um espetáculo multimídia que acontece no Teatro Cândido Mendes, no bairro de Ipanema, Rio de Janeiro.

Em entrevista exclusiva para o nosso site, a piauiense conta que a vontade de cantar Torquato surgiu com a maturidade, com a necessidade de retornar as suas raízes, se referindo ao Piauí e em especial a Teresina.

Patrícia Mellodi é uma estudiosa das obras do Anjo Torto há 7 anos. Nasceu em Teresina e há 19 anos mora na cidade Maravilhosa, no Rio de Janeiro, canta desde pequena e profissionalizou-se aos 16 anos. Sua primeira música gravada em estúdio foi “Rua”, uma composição de Torquato Neto com a parceria de Gilberto Gil.

Além de conterrâneos Patrícia se identificou pelo fato de Torquato Neto gostar de música e também ter vivido boa parte de sua vida no Rio de Janeiro. “Os meus encontros com Torquato se dão em vários momentos, o fato de ele ser um piauiense no Rio de Janeiro é um dos meus maiores motivos”. Ressalta a cantora.

Indagada sobre o que mais lhe atrai nas composições do Torquato Neto, Patrícia afirma ser “A força. Ele é na veia. Mas tem também muita doçura. Apesar de ser constantemente associado à morte, eu sinto vida nele.” Finaliza.


Patrícia pretende gravar um CD com as composições do poeta, mas no momento, está em busca de editais e incentivos fiscais para realizá-lo. Já o show “Anjo Torto - Patrícia Mellodi canta Torquato Neto” pode chegar a Teresina ainda no mês de Dezembro deste ano. Sendo que, durante o ano de 2015 acontecerá às turnês pelo Brasil.


Patrícia Mellodi fala sobre homenagem aos 70 anos de Torquato Neto

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi
segunda-feira, 10 de novembro de 2014
0 Comments

Torquato Neto no sanatório em Botafogo (RJ)
Há exatos 70 anos nascia o jornalista, compositor, diretor, ator e poeta tropicalista Torquato Neto. Personalidade da nossa terra, do nosso chão. Torquato nasceu em Teresina, em 09 de novembro de 1944. Infelizmente nos deixou em 1972, mas até hoje é vivo em suas obras artísticas. 


Torquato Neto, onde quer que esteja, nós alunos da Universidade Estadual Piauí (UESPI), mais precisamente do campus que leva seu nome, agradecemos pelo seu legado. PARABÉNS!



A comemoração dessa data na UESPI fica por conta da II Semana de Audiovisual, que irá homenagear o nosso "Anjo Torto" nos dias 19 e 20 de novembro, com oficinas, amostras e competições de vídeos e debates.

Torquato Neto - 70 anos

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi
domingo, 9 de novembro de 2014
0 Comments
A Jornalista Sandra Annenberg, em virtude de imprevisto, não poderá participar da Videoconferência previamente agendada com os estudantes de Comunicação da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) e outras Instituições de Ensino Superior (IES) que seria sediada na UESPI nesta sexta-feira, dia 07 de novembro.

O motivo seria um acidente que a apresentadora sofreu em sua residência enquanto realizava exercícios físicos. 
A jornalista lamenta o ocorrido e se coloca a disposição para uma nova data, que já está sendo acertada entre a Organização da atividade, Curso de Comunicação da UESPI e Beatriz Abellan, da Globo Universidade.
Tão logo a nova data seja definida, a informação será comunicada. Continuam válidas as inscrições já efetuadas e confirmadas.
Em breve mais informações.
Com informações da ASCOM/UESPI

Videoconferência com jornalistas Sandra Annenberg e Evaristo Costa é adiada

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi
quinta-feira, 6 de novembro de 2014
0 Comments
As inscrições para a videoconferência com os jornalistas Sandra Annenberg e Evaristo Costa, ambos âncoras do Jornal Hoje da Rede Globo, estão liberadas desde 0h desta terça-feira (04/11) e devem ser feitas até meia noite da quarta-feira (05/11) através do link: https://doity.com.br/videoconferencia-sandra-annenberg-e-evaristo-costa#registration.

Não perca essa oportunidade! A videoconferência acontecerá nesta sexta-feira (07/11), às 07h30, no Auditório do Núcleo de Educação a Distância (NEAD) da Universidade Estadual do Piauí (UESPI).

Lembramos que além da inscrição o interessado deve comparecer na quarta-feira para o credenciamento na Coordenação do curso de Comunicação Social da UESPI no horário das 14h às 20h.

Já estão liberadas as inscrições para estudantes de outras Instituições de Ensino Superior

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi
terça-feira, 4 de novembro de 2014
0 Comments
A Primeira Semana de Áudio visual da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), aconteceu em 2013, no Auditório do Núcleo de Educação a Distância (NEAD), e contou com a presença de grandes profissionais da área, dentre eles a apresentadora do Piauí TV 1ª edição da TV Clube, Aline Moreira, o cineasta e diretor de Cipriano, primeiro longa piauiense, Douglas Machado, o diretor de cena e fotografia, Djalma Lemos Ferreira e o fotógrafo, João Brito Jr.

Com o tema, “Tecnologias e produções independentes”, o evento foi dividido em três dias. O primeiro dia da 1a Semana Audiovisual da UESPI (25/11), contou com a exibição do filme "Na Estrada com Zé Limeira" de Douglas Machado. O filme se dá em torno de uma equipe de filmagem que percorre os Estados da Paraíba e Pernambuco em busca das memórias do poeta e repentista paraibano Zé Limeira (1886-1954). Nesta viagem pelo Sertão, a procura dessas informações revela a construção do próprio documentário. 

O segundo dia (26/11) foi marcado pelas oficinas de “Matéria para Televisão”, com a repórter e apresentadora da TV Clube Aline Moreira, o jornalista Djalma Lemos com a oficina de “Produção de Vídeo com Câmera Fotográfica” e o fotógrafo João Brito Jr. com o Workshop Fotográfico e Documentarismo. 

O último dia do evento, 27 de novembro, contou com mesas temáticas onde foram reproduzidas produções independentes, incluindo documentários, vídeos populares, videorreportagens, clipes e pequenos programas. Os melhores foram escolhidos por um corpo de jurados e premiados.

Confira uma retrospectiva do que rolou na I Semana Audiovisual da UESPI

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi
segunda-feira, 3 de novembro de 2014
0 Comments
O estudante do 7º período do curso de Comunicação Social André Aureliano, foi escolhido para representar a equipe de organização da II Semana Audiovisual da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) para participar de bate-papo no programa Esquina Cultural da Rádio UESPI.

Durante a conversa foi falado sobre a programação e a expectativa para o evento.

Confira a entrevista:

Organização da II Semana Audiovisual participa de bate-papo na Rádio UESPI

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi
domingo, 2 de novembro de 2014
0 Comments
As inscrições para estudantes do curso de Comunicação Social da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) participarem da videoconferência com os jornalistas Sandra Annenberg e Evaristo Costas estão sendo realizadas através do link: https://doity.com.br/videoconferencia-sandra-annenberg-e-evaristo-costa#registration.

As vagas para a conferência são limitadas, e as inscrições para alunos do curso deverão ocorrer até amanhã, 03/11. As vagas limitadas e o código que é solicitado durante a inscrição foi disponibilizado para todos os líderes de turmas. Se você é aluno de comunicação da UESPI e quer participar, procure seu líder imediatamente. 

Inscrições para os demais alunos de Comunicação de outras Instituições de Ensino Superior (IES), ocorrerão nesta terça-feira, 04/11, também no link disponibilizado. 

Lembramos que o credenciamento, indispensável para a participação no encontro virtual, ocorrerá nesta quarta-feira, 05, na coordenação do curso de Comunicação Social da UESPI, das 14h às 20h. 

Inscrições dos alunos de Comunicação Social da UESPI para a videoconferência já estão acontecendo

Postado por : Jornalismo e Relações Públicas Uespi 0 Comments

- Copyright © 2013 IV Semana Audiovisual UESPI - Shiroi - Powered by Blogger - Designe por Johanes Djogan com edições de Daniel Simão -